O QUE É EMPATIA E COMO TRABALHAR ELA NO AMBIENTE DE TRABALHO?

Existe um valor cujo o nome tem sido usado cada vez mais em diversas discussões, seja em ambientes onde acontecem relações pessoais ou profissionais. Esse valor é a empatia.

Certamente você já presenciou algum desses debates onde uma das soluções apontadas para resolver um problema era “ter mais empatia”. De fato, essa é uma qualidade muito importante, principalmente nos dias atuais, onde tudo acontece de forma muito rápida e dinâmica, com cobranças diversas, em todos os âmbitos da vida de uma pessoa.

A empatia pode ser definida, de forma rápida, como a capacidade de se colocar no lugar do outro e, falando assim, pode até parecer algo fácil, mas não é.

Muitas pessoas acabam por confundir empatia com simpatia. Isso porque, os dois conceitos estão ligados à forma como nos comportamos perante ao próximo, porém existe uma diferença muito significativa entre eles.

Se você quer saber mais sobre o que é empatia, qual a diferença entre esse valor e a simpatia e porque isso pode influenciar na sua empresa de diversas formas, continue lendo esse post.

Empatia vs. Simpatia

Algumas pessoas podem se confundir com as duas palavras e acabar deduzindo que elas são sinônimos, mas acredite, não são.

A simpatia está diretamente ligada ao que sentimos e buscamos transmitir para outras pessoas. Sendo assim, uma pessoa simpática pode entender o sentimento do próximo e, assim, agir de modo agradável, para gerar admiração e causar uma boa impressão. No entanto, não significa que ela possa assimilar de fato como a outra pessoa se sente, como se estivesse no lugar dela.

Já a empatia é a capacidade de compreender, de forma mais profunda, o sentimento da outra pessoa. Dessa forma, podemos dizer que a empatia está ligada com a conexão formada com o próximo, ou seja, uma pessoa empática é capaz de sentir o que o outro sente, como se fosse com ela própria.

Desenvolver a empatia de fato não é algo fácil. Para isso é necessário prática e, acima de tudo, autoconhecimento. Algumas pessoas podem ter maior aptidão para exercitar esse sentimento e outras talvez não consigam, e está tudo bem, pois é necessário entender que cada ser humano é único em suas possibilidades e limitações.

A importância da empatia no ambiente de trabalho

Sabemos que algumas vezes o ambiente de trabalho poder ser realmente estressante, pois qualquer negócio conta com metas a serem cumpridas, sejam elas de produção ou financeiras, por exemplo. Algumas empresas lidam com processos arriscados e que necessitam de grande responsabilidade, outras lidam com milhares de clientes demandando grande quantidade de atenção diariamente, entre diversas outras situações.

Todas essas questões que envolvem rapidez para entregar soluções, pressão para atingir objetivos, entre outras, podem contribuir para o desenvolvimento de ansiedade, aumento de autocobrança por excelência, e vários outros sentimentos que podem abalar psicologicamente o trabalhador.

Além disso, também existe a vida pessoal, fora da empresa. Certamente muitos colaboradores se esforçam para não misturar as coisas, ou seja, não deixar que o se desempenho no trabalho seja comprometido por conta de problemas pessoais, mas nem sempre isso é possível, pois somos humanos – e é aí que a empatia entra no ambiente de trabalho.

Ao contarmos com funcionários e líderes empáticos em nosso ambiente de trabalho, nosso dia a dia profissional pode se tornar muito mais leve, mesmo em meio à possíveis pressões. Isso porque, pessoas empáticas conseguem se colocar no nosso lugar, compreendendo nossas necessidades, limitações e nos ajudando a suprir elas.

Que tal uma situação hipotética?

Você passou por uma situação traumática há pouco tempo. Um acidente de carro, e por isso ainda não se sente confortável para pegar a estrada novamente, seja em seu próprio carro, no de terceiros ou de ônibus. No entanto, seu líder marcou uma reunião de negócios importante na cidade vizinha e quer que você participe presencialmente, custe o que custar, mesmo você expondo o seu trauma para ele.

Nesse caso, é possível afirmar que você não conta com uma liderança empática, pois mesmo conhecendo a sua situação, ela não buscou formas de aliviar o seu desconforto de enfrentar uma estrada para chegar a outra cidade. Uma demonstração de empatia, nesse caso, aconteceria se o seu líder oferecesse a opção de videoconferência, por exemplo. Pois dessa forma você poderia participar da reunião importante sem ter que passar por situações que ainda são desagradáveis para você.

Sendo assim, podemos entender que a prática da empatia no ambiente de trabalho pode trazer diversos benefícios, tanto pessoais, quanto profissionais. Algumas das vantagens que a sua empresa pode ter ao contar com uma equipe de trabalho empática é a melhora no clima organizacional, diminuindo possíveis frustrações dos colaboradores, aumentando o rendimento e produtividade dos mesmos e reduzindo as taxas de turnover, por exemplo.

Formas de praticar no trabalho

Seja atencioso – de verdade!

Durante uma conversa, seja com o seu líder, liderado ou apenas um colega de trabalho que está desabafando com você, seja realmente atencioso.

O que queremos dizer aqui é que, atualmente, vivemos em um mundo de estímulos constantes e, ao ser empático com alguém, é necessário se desligar deles por alguns momentos. São diversas notificações que chegam no celular, no computador, telefone tocando, campainha também, e isso pode ser um verdadeiro caos.

Foque a sua atenção na pessoa que está conversando também. Procure entender as expressões e os movimentos dela, além do que ela está dizendo. Busque não desviar sua atenção com possíveis distrações como o celular, por exemplo. Dessa forma, você cria uma relação de confiança na conversa, o que faz com que a pessoa se abra com mais facilidade, proporcionando a você um entendimento mais profundo da situação.

Mas atenção, é importante que você não seja apenas um simples ouvinte. Muitas vezes o silêncio pode se tornar desconfortável, então é importante que você mantenha o diálogo, estimulando a outra pessoa com perguntas que demonstrem o seu real interesse na situação. A conversa não pode ser unilateral, mas também é importante que seja livre de julgamentos, prévios ou não.

Aperto de mãos demonstrando empatia.

Não se apegue ao seu ponto de vista

Como dissemos, a empatia é a capacidade de compreender a dor do outro como se fosse ele mesmo. Sendo assim, é importante entender que cada um tem a sua própria vivência e experiência. Por isso, possivelmente o seu ponto de vista não se encaixará na situação que aquela pessoa está vivendo. Isso porque, a visão de mundo dela é diferente da sua e é importante respeitar isso.

Você não precisa concordar com o que a outra pessoa está te dizendo, mas ao praticar a empatia, você entende o contexto de vida daquela pessoa e o motivo que a faz pensar ou agir daquela forma, por exemplo. Lembre-se que, em muitas situações, o conceito de certo e errado é relativo, pois pode depender de uma série de fatores.

Sendo assim, uma das coisas mais importantes para desenvolver a empatia é aprender a não julgar com as suas vivências, a história do próximo.

Se você sente que a empatia não está presente nas suas ações ou nas equipes da sua empresa, não se desespere. Tudo é um processo de prática e construção e aos poucos, com pequenas atitudes, é possível inserir esse valor no seu ambiente de trabalho.

Como é na sua empresa? Você acredita que você é uma pessoa empática? Quais são os atos de empatia que você pratica? Conta com a gente! Compartilhar experiências e conhecimentos é um ato de empatia e cuidado, e #CuidarÉColetivo.

DEIXE UM COMENTÁRIO