ERGONOMIA NO TRABALHO: O QUE É E COMO ELA IMPACTA NA SAÚDE E NO BEM ESTAR DOS FUNCIONÁRIOS

Alguns estudos apontam que trabalhadores podem passar até 2.030 horas do ano exercendo suas atividades profissionais. Isso é bastante, não? E significa que, na maioria das vezes (antes da pandemia), passamos mais tempo no serviço do que em nossa própria casa.

Para evitar que os funcionários sofram desgastes físicos ou mentais por conta da quantidade de tempo gasto em suas funções de trabalho é possível contar com uma grande aliada: a ergonomia no trabalho.

Ainda que nos últimos meses muitas empresas tenham passado a adotar o regime de home office por conta da pandemia da covid-19, possibilitando que seus colaboradores realizem suas tarefas de casa, ainda é responsabilidade do empregador garantir um ambiente com boas condições para seus profissionais.

Se você quer entender melhor o que é ergonomia, quais são os benefícios que ela apresenta para a boa operação de uma empresa e entender como implementá-la, continue a ler este conteúdo.  

O que é ergonomia?

Ergonomia é a ciência que estuda a relação do homem com as máquinas e sistemas e, por isso, não pode ser desconsiderada no ambiente de trabalho, já que é ela que ajuda a garantir segurança, conforto e bem-estar aos colaboradores enquanto cumprem sua rotina profissional.

Pode-se dizer que o principal objetivo da ergonomia no trabalho é adequar o ambiente em que se realizam as atividades profissionais às necessidades do trabalhador, prevenindo acidentes e doenças ocupacionais, além de ajudar a melhorar a qualidade de vida do colaborador.

Doenças ocupacionais

As doenças ocupacionais são aquelas que geralmente surgem em decorrência da tarefa realizada pelo colaborador e das condições de trabalho às quais ele é exposto. Na maioria das vezes os sintomas dessas doenças surgem a longo prazo.

Boa parte das doenças identificadas hoje em dia estão diretamente ligadas à falta de ergonomia no trabalho, dentre as mais conhecidas estão a LER (Lesão por Esforço Repetitivo), a surdez (temporária ou permanente), o estresse, a dermatose ocupacional e a DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). E grande parte delas poderia ser evitada com a aplicação da ergonomia no local e nos processos de trabalho.

Como o universo das atividades de trabalho é muito amplo, a abordagem da ergonomia no trabalho também é. Isso porque, para que ela atenda bem aos diversos tipos de pessoas e ocupações, o estudo deve considerar diferentes fatores físicos, cognitivos, ambientais, sociais e organizacionais, dentre outros que sejam relevantes para determinada atividade. Dessa forma, a Associação Internacional de Ergonomia (IEA) divide essa ciência em três especialidades:

Ergonomia física

A ergonomia física está diretamente ligada às características anatômicas, fisiológicas, biomecânicas e antropométricas do ser humano e ao modo como elas se relacionam às atividades físicas realizadas no trabalho.

Diante disso, alguns pontos que a ergonomia física analisa são:

  • a postura do trabalhador
  • a existência de movimentos repetitivos
  • a forma de manuseio de materiais
  • o modo como os postos de trabalho foram projetados
  • a segurança do ambiente de trabalho

Dessa forma, o especialista em ergonomia física classifica diferentes biotipos existentes nos colaboradores das empresas e a partir deles define as dimensões necessárias para os equipamentos, máquinas e ferramentas utilizadas no trabalho.

Ergonomia cognitiva

A ergonomia cognitiva lida basicamente com os processos mentais envolvidos nas atividades do trabalho. Sendo assim, ela avalia questões como a percepção, a memória, a atenção e o raciocínio, que podem afetar nossas interações com outras pessoas e com outros elementos do sistema de trabalho.

Por isso, podemos dizer que dentro da ergonomia cognitiva são avaliados aspectos como:

  • a carga mental que o trabalho exige
  • o desempenho específico em determinados setores
  • a interação do indivíduo com as máquinas
  • os processos de tomada de decisão
  • o estresse de origem profissional
  • a confiabilidade humana

Diante disso, nota-se que a ergonomia cognitiva trabalha avaliando e intervindo em situações que podem influenciar o nível mental dos colaboradores, promovendo melhorias nas relações da equipe.

Ergonomia organizacional

Já a ergonomia organizacional, também conhecida como ergonomia operacional, lida com a otimização dos sistemas sociotécnicos, políticos e de processos das empresas. Ou seja, ela avalia a estrutura organizacional e o clima das empresas, considerando pontos que podem ser melhorados.

Alguns dos pontos avaliados por ela são:

  • as atividades realizadas em grupo
  • os processos de comunicação interna
  • a gestão
  • a cultura organizacional
  • o trabalho cooperativo
  • a organização do tempo das operações

Sendo assim, podemos dizer que a ergonomia organizacional se ocupa de avaliar e propor mudanças na cultura organizacional das empresas a fim de promover o bem-estar dos colaboradores, por exemplo.

O que diz a NR-17

No Brasil, existe a Norma Regulamentadora Nº17, mais popularmente conhecida como NR-17, que passou a vigorar em 1978 e foi desenvolvida pelo Ministério do Trabalho, atendendo a regulamentações relativas à Segurança e à Medicina do Trabalho.

Um dos fatores que motivou a criação da NR-17 foi o aumento significativo no número de casos de doenças ocupacionais que, como vimos mais acima, são causadas por conta das condições de trabalho a que alguns trabalhadores são submetidos e que nem sempre são adequadas.

Sendo assim, essa Norma Regulamentadora prevê que os empregadores realizem análises de ergonomia no trabalho para que, a partir daí, sejam feitas adaptações no mobiliário, maquinário, processos e ambiente de forma geral. 

O objetivo dessas adaptações é tornar o local de trabalho mais confortável e seguro para os colaboradores da empresa. Dessa forma, as chances de acidente de trabalho, afastamento, surgimento de doenças ocupacionais e queda da produtividade, por exemplo, diminuem consideravelmente.

Quais os benefícios de se preocupar com a ergonomia no trabalho

Para deixar claro alguns dos muitos benefícios de aplicar princípios de ergonomia no ambiente de trabalho vale listar que eles incluem:

Benefícios para a empresa

Alguns estudos apontam que empresas que investem em ergonomia no trabalho garantem uma série de vantagens no mercado, como uma queda de até 3% na taxa de absenteísmo dos colaboradores e uma diminuição de até 25% do desperdício de matérias-primas.

Apesar de parecer que aplicar a ergonomia na sua empresa pode ser algo que só irá gerar gastos, o custo-benefício dessa implementação é muito positivo a longo prazo. Isso porque, ao introduzir essas melhorias no ambiente de trabalho, os riscos de afetar a saúde dos colaboradores diminuem, minimizando também possíveis custos com afastamentos ou indenizações, por exemplo.

Além disso, a aplicação dos princípios da ergonomia no ambiente de trabalho também contribui para o aumento da produtividade, para a retenção de profissionais e para a melhora do clima organizacional.

Benefícios para os colaboradores

Dentre os benefícios da ergonomia no trabalho para os profissionais estão:

  • melhora da postura e prevenção de doenças
  • aumento da qualidade de vida
  • promoção à valorização profissional
  • diminuição da fadiga e do estresse gerados pelo trabalho
  • aumento da sensação de satisfação

Como implementar regras de ergonomia na sua empresa

Cada empresa possui uma necessidade diferente quando se trata da aplicação da ergonomia no trabalho. Isso porque uma série de fatores, como o segmento de atuação da empresa, o perfil dos colaboradores, o ambiente onde ela está situada, entre outros, influenciam nas ações que precisam ser tomadas para promover mais saúde, conforto e segurança aos trabalhadores.

No entanto, existem alguns passos básicos que podem ajudar no início desse processo de adaptação.  São eles:

  • crie um comitê de ergonomia que seja composto por colaboradores de diversos setores da empresa
  • capacite os membros desse comitê com materiais informativos sobre ergonomia no trabalho e conte com a ajuda deles para mapear quais são as possíveis falhas ergonômicas presentes na empresa
  • junto do comitê, crie um plano de ação para implementar as mudanças necessárias para tornar o ambiente de trabalho mais ergonômico
  • conte com a ajuda de empresas especializadas no assunto, ou seja, consultorias de ergonomia no trabalho. Elas irão garantir que as mudanças adotadas realmente equivalem às necessidades dos colaboradores e da empresa.

Como garantir ergonomia no trabalho no home office

Em um esforço para conter o número de infecções por coronavírus, milhões de brasileiros estão trabalhando em casa, transformando as mesas da cozinha e os quartos em escritórios domésticos temporários — muitos até definitivos.

E nesse cenário, muitos estão trabalhando em condições ergonômicas nada ideais — cadeiras muito baixas, mesas muito altas, computador muito baixo ou muito acima da altura dos olhos… Isso pode acarretar vários problemas. Por isso a seguir, damos dicas de como garantir ergonomia no trabalho mesmo trabalhando de casa:

Oriente seus colaboradores sobre a importância da ergonomia

É fundamental orientar seus colaboradores sobre a importância de criar um ambiente apropriado para o trabalho em casa e falar sobre os problemas que não dar atenção a princípios ergonômicos pode causar.

Coloque regras para a escolha de mesas e cadeiras de trabalho

Além de orientar sobre a importância da ergonomia, também é essencial que você imponha regras para a escolha dos móveis que serão utilizados na rotina de trabalho.

Vale dizer que, caso seu colaborador não possua mobiliário adequado, é de responsabilidade da empresa providenciá-los.

Fale sobre a importância da iluminação 

A iluminação é outro fator importante para ter boa ergonomia no trabalho. Por isso, cuide para garantir que seus colaboradores em home office tenham condições de luz adequada à realização de suas tarefas sem prejudicar a sua saúde.

Faça um checklist de itens fundamentais para a ergonomia no home office

Como são muitos os cuidados necessários para garantir boa ergonomia na rotina home office, vale criar um checklist que ajude a ter certeza de que todos os itens foram contemplados. 

Ensine como se sentar corretamente durante a jornada de trabalho

Disponibilize para sua equipe treinamentos com profissionais especializados na área para ensinar como ele deve se sentar corretamente durante a jornada de trabalho.

Mas de antemão, nós já vamos oferecer algumas dicas básicas:

  • use monitor externo ou suporte para notebook (com teclado e mouse externos) para sustentar a tela. Ao olhar para a tela, a linha dos olhos deve estar no mesmo nível da barra de endereço do navegador.
  • encontre uma altura confortável de modo que os cotovelos fiquem naturalmente alinhados com a altura da mesa ou escrivaninha. Isso irá promover um melhor alinhamento do punho, em vez de choque ou estresse do túnel do carpo.
  • aposte em cadeiras ergonômicas. Elas possuem recursos ajustáveis para uma cadeira de trabalho de escritório e evitarão desconforto na região lombar e no pescoço.
  • coloque os pés sobre alguns livros ou caixas sob a mesa, de modo que as coxas fiquem quase paralelas ao chão e os quadris um pouco acima dos joelhos. Isso reduzirá o estresse na coluna lombar. 
  • para cada 20 minutos gasto olhando para a tela de um computador, você deve gastar 20 segundos olhando para outra coisa a 6 metros de distância. Isso dá uma pausa nos músculos oculares e ajuda a reduzir o cansaço visual.

Esperamos que nossas dicas ajudem você a promover as melhores práticas de trabalho aí, na sua empresa. Para ver outros conteúdos como este, continue acompanhando as publicações aqui, no blog Minha Empresa N&G.

DEIXE UM COMENTÁRIO