8 ERROS DE GESTÃO FINANCEIRA QUE PODEM PREJUDICAR SEU NEGÓCIO

A gestão financeira é uma das áreas mais importantes dentro de uma empresa, afinal é ela que estabelece a direção que o seu negócio vai tomar e ajuda a prevenir possíveis erros. Sendo assim, qualquer descuido pode ser prejudicial para o bom funcionamento da organização.

Em pequenas e médias empresas, por exemplo, um gestor precisa ser multitarefas e lidar com muitas responsabilidades e muitas vezes, e por falta de experiência ou conhecimento, podem ocorrer falhas na gestão financeira dessas empresas.

Planejamento, organização e controle, por exemplo, são práticas essenciais no dia a dia do setor de finanças para evitar esses possíveis erros, por isso é importante criar uma rotina de cuidados básicos como o controle de contas, cobranças e trabalhar – sempre – focando na real situação da empresa.

Diante disso, listamos 8 erros mais comuns de gestão financeira de empresas que devem ser evitados para garantir um bom funcionamento do negócio. Veja a seguir e fique atento!

Misturar despesas pessoais com as finanças da empresa

Geralmente em pequenas e médias empresas o próprio dono é quem cuida das finanças do empreendimento e acaba se tornando gestor. Nesse caso existe um risco muito grande nessa atitude, pois muitas vezes as contas pessoais são misturadas com as contas da organização e isso pode prejudicar a saúde financeira do negócio, até mesmo levando ele à ruína.

Quando essa confusão acontece e o empreendedor passa a retirar dinheiro do caixa da empresa para pagar dívidas pessoais o capital de giro pode ser prejudicado, ou seja, caso o negócio tenha que suprir algum custo operacional, não terá dinheiro em caixa para isso e terá que recorrer a empréstimos, por exemplo, o que pode ser um problema por conta das taxas de juros.

Desta forma, o ideal é ter uma conta separada para as despesas da empresa desde o início; estipular um pró-labore, ou seja, a remuneração dos administradores da empresa pelos serviços prestados; e respeitar os ganhos da organização. Agindo assim, além de manter as entradas e saídas organizadas, o empreendedor também torna a hora de declarar o Imposto de Renda mais fácil, pois não será necessário recordar o que foi gasto pessoal e o que foi gasto empresarial, por exemplo.

Não analisar constantemente o desempenho da empresa

Calcular o lucro da empresa levando em consideração apenas a diferença entre as receitas e as despesas é um erro comum cometido por muitos gestores.

Uma gestão financeira efetiva deve considerar ter condutas de controle cuidadosas, um bom planejamento e uma análise minuciosa das atividades financeiras da empresa, por exemplo, e para isso é muito importante avaliar os custos de produção dos produtos ou serviços vendidos, o valor total arrecadado das vendas, as despesas operacionais e com juros por conta de empréstimos ou financiamentos e os impostos que são pagos ao governo para se ter uma empresa legalizada para ter certeza se a organização está seguindo o caminho certo e gerando bons resultados.

Não conhecer os detalhes operacionais da empresa

Conhecer cada detalhe operacional do seu negócio, como a eficiência do fluxo de caixa, por exemplo, saber o volume ideal de estoque, entender o quanto está sendo gerado em folha de pagamento em cada etapa do processo, além de antecipar a visão de oportunidades de investimento – seja em novos mercados ou otimização de processos – pode garantir a prevenção de possíveis erros, identificando gaps que impedem resultados melhores e auxiliando na correção do caminho que a empresa está seguindo.

Por esse motivo é muito importante investir em um sistema de gerenciamento, pois é através dele que é possível reunir informações sobre o que acontece dentro da organização, facilitando a administração de recursos o os processos de tomada de decisão.

Não controlar o Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa vai muito além de controlar despesas que já passaram preenchendo planilhas baseadas em extratos bancários. Ele também é uma importante ferramenta para projeções futuras.

Com um fluxo de caixa completo e atualizado o gestor consegue identificar dados estratégicos como clientes que tem um bom histórico de pagamento, identificar compras desnecessárias ou gastos excessivos, projetar contas futuras como folhas de pagamento, empréstimos ou financiamentos e garantir que vai existir dinheiro em caixa para pagá-las, evitando multas e juros desta forma.

Ter um fluxo de caixa bem estruturado é essencial para saber quando será necessário antecipar recebimentos para evitar atraso de pagamentos e, também, para auxiliar em tomada de decisão no que diz respeito ao impulsionamento do negócio, decidindo se o melhor é investir em capital de terceiros, empréstimos ou financiamentos.

Preparamos uma planilha de fluxo de caixa anual, intuitiva e gratuita para você turbinar a gestão financeira da sua empresa. Baixe agora mesmo!

Não investir automatização

Resistir à evolução tecnológica é um erro muito comum, principalmente em empresas mais tradicionais. Atualmente existem diversos softwares de gestão financeira automatizados que otimizam processos, reduzem custos e aumentam a produtividade da equipe.

Investir em um sistema desses é uma boa oportunidade para manter os setores da empresa integrados, com as informações centralizadas e emitindo diagnósticos mais precisos, pois como a atualização das informações e a geração de relatórios são automatizados, existem menos chances de acontecer falhar humanas, ou seja, preenchimentos errados de dados, por exemplo.

Vender produtos e serviços por um preço errado

Quando não se tem um fluxo de caixa detalhado, como dito em um dos tópicos anteriores, fica mais difícil saber calcular o valor a ser cobrado pelo produto ou serviço oferecido pela empresa, pois se desconhece os custos de produção. Sendo assim, é possível dizer que esse é mais um dos erros cometidos por gestores quando a gestão financeira da empresa não vai bem.

Precificar um produto baseado apenas em estimativas pouco confiáveis ou comparação com o valor dos concorrentes, sem levar em consideração os custos de produção, operacionais, as despesas fixas e variáveis da empresa e avaliar o público-alvo, por exemplo, é correr o risco de ter um produto que trará prejuízos para a empresa e, possivelmente, irá complicar o bom funcionamento do negócio.

Ter um planejamento incompleto e/ou não seguir um planejamento

Ter um bom planejamento financeiro, com objetivos, indicadores e KPIs (Key Performance Indicator – Indicador chave de desempenho) é essencial para guiar um negócio no caminho do sucesso. Agir de forma impulsiva por conta de muito entusiasmo em um novo projeto, por exemplo, sem levar em conta o que foi planejado, pode ser arriscado demais para empresas, podendo leva-las ao insucesso.

Dentro desse planejamento devem ser considerados fatores positivos e negativos, como a inadimplência, por exemplo, pois uma empresa necessita de capital para funcionar tranquilamente, sendo assim, não controlar o dinheiro da empresa que está nas mãos de terceiros pode causar um desvio no planejamento e trazer danos à empresa.

Não ter disciplina no controle financeiro

Esse é um fator que está diretamente ligado com o fluxo de caixa e com o planejamento financeiro. Muitas vezes, na correria rotineira da gestão de negócios, o empreendedor até inicia um controle financeiro que acaba se perdendo ao longo das semanas por conta de outras prioridades operacionais. Com isso, o controle passa a ficar desatualizado, as contas acumulam, prazos se perdem, orçamentos são estourados por não seguir uma política financeira que procure sempre o melhor custo benefício, e a saúde financeira da empresa vai deixando de existir.

Não manter essa rotina de controle pode acarretar em pagamento de contas atrasadas, o que causa juros e multa e prejudicar diretamente os lucros da empresa; execução de compras ou contratações acima do valor ideal, por não ter tempo de negociação; pode existir uma má gestão de estoque, deixando ele parado e perdendo dinheiro, ou deixando ele em falta e perdendo vendas; e tudo isso é sinal de prejuízo.

Caso você seja o responsável por fazer o controle financeiro da sua empresa, uma dica é separar um período específico do dia para fazer essa gestão. Dessa forma você consegue entrar no ritmo aos poucos e manter os dados mais importantes sempre organizados.

Gostou do nosso artigo sobre os erros de gestão financeira? Então você também pode se interessar em ler sobre ideias para reduzir os custos na sua empresa. Esperamos que você goste da leitura!

DEIXE UM COMENTÁRIO